quinta-feira, 22 de junho de 2017

O amor?

Quantos são os que amam?
Quantos são os que povam,
Lutam pelo sucesso da relação,
Pelo sentimento que vai no coração?

Quantas conversas
Que terminamcom o chorar?
Sofrimento sentido pelos dois
Causado pelo mal falar.

Dor, choro e arrependimento
Que desgastam uma relação!
Por mais que seja forte o sentimento
Deixa sempre alguma tenção…

Mágoas e tristezas…
Lágrimas e dores de cabeça…
São os problemas mais conhecidos
Pelo desgosto do coração!

Falar e agir de cabeça quente
Pode causar algum dano permanente.
Por isso duas vezes convém pensar
Antes de tudo estragar…


O que acha sobre o assunto? Será ou não que uma realação desgasta-se a cada briga? 


(2017)


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Internet

Boas minha gente, hoje venho falar-vos sobre a internet e a dependência que esta criou em todos nós seres humanos deste mundo, sendo desde os mais novos aos mais velhos. Quem diria que esta conseguiria um dia prender-nos de tal maneira às novas tecnologias fazendo com que seja quase que missão impossível passar umas horas sem ligação à rede.
O mundo está em constante evolução e todos nós sabemos disso. O mundo evoluiu de tal maneira que é quase que impossível encontrar algum posto de trabalho em que não seja utilizada a internet, seja esta para partilha, armanezamento e/ou pesquisa de dados.
No que diz respeito às redes sociais, das quais as pessoas usufruem porque querem e não por necessidade, as pessoas são como que dependentes de passarem todo o tempo a informar “os seus contactos/amigos/seguidores” sobre o que fazem, com quem estão e onde estão. Antigamente eram usadas (as redes sociais) para partilhar fotografias, porém agora serve para conversar, identificar, partilhar, até videos em direto agora é possivel fazer.
Isto tudo para dizer o quê? Que supostamente antigamente tudo o que originava trabalho manual de pesquisa, a presença fisica para estar e falar com alguém agora passa a ser necessário o acesso a dados móveis ou wi-fi e um aparelho suficientemente bom para tal efeito, tornando a “vida muito mais fácil” sem ser necessário “perder tempo” para realizar algo que pode estar ao alcance de um clique no ecrã.
Antigamente, um exemplo bem simples, para passarmos tempo podiamos ler um livro (o que hoje se faz num smartphone ou tablet), podiamos brincar na rua ou dentro de casa com os amigos (que agora, cada quem joga no seu telemóvel, portátil, tablet ou consola), ir passear ou simplesmente ir a um café ou cinema com alguém. Ou seja, tudo o que era feito antes de uma maneira na qual tinhamos de nos deslocar, hoje em dia é-nos possibilitado fazermos sentados apenas com cliques nos ecrãs.
Em suma, como já dito aqui no blog, existem muitas coisas das quais a internet veio a facilitar e a ajudar e muito, porém, por outro lado, existem muitas coisas das quais esta só veio a piorar como o sedentarismo e acabar com muitas relações interpessoais.

O que acha sobre este assunto? Concorda ou não que a internet veio a tornar-nos dependentes dela?


(2017)


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Impossibilitada…

Boas minha gente, hoje escrevo sobre a sensação de querermos fazer algo por alguém e sentirmo-nos como presos por não poder fazer nada. Quem é que nunca teve essa sensação? Querer ajudar alguém, querer fazer de tudo para tornar a pessoa mais alegre e não poder por não lhe ser possibilitado?
Que eu saiba, infelizmente, muitos de nós já passamos por isso inúmeras vezes, sendo por pessoas e/ou animais.
Não são apenas os profissionais que procuram ajudar as pessoas e os animais às suas voltas com as suas profissões, mas sim como também todos nós, tentando ajudar os nossos familiares, amigos e/ou os nossos animais domésticos.
É tão mau querermos fazer tudo para podermos ajudar uma pessoa e infelizmente não podermos fazer nada… Sernos impossibilitado fazer o que quer que seja para colocar um sorriso de novo na cara de alguém por conseguirmos de alguma maneira ter contribuido para alegrar o dia desse alguém em questão.
É tão mau não podermos ajudar as pessoas que mais amamos, estar-nos fora de alcance a possibilidade de mudar o que sentem e voltar a fazer com que se sintam bem.


(2017)


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Saudades dos que mais amamos

Boas minha gente. Mais uma vez escrevo sobre as benditas das saudades. Sei que já escrevi anteriormente das saudades da família e daqueles que mais amamos, por estarem apenas longe pela distância ou por já terem mudado de plano (terem partido deste mundo), sendo estes familiares ou apenas amizades.
Estando longe ou estando perto sempre haveremos de ter saudades dos que nos aquecem o coração, daqueles que nos fazem derramar uma lágrima ao pensarmos neles.
Pessoas ou “pessoinhas” de meio metro que nos marcaram de certa forma, seja por terem crescido ao nosso lado, por termos acompanhado o seu crescimento ou apenas por termos convivido com elas quase todo o tempo.
Quem é tio/a, filho/a, primo/a, irmã/o sabe do que falo, dos nossos queridos parentes que crescem dando-nos o privilégio de poder acompanhá-los e poder fazer parte daqueles grandes passos das suas vidas por serem os primeiros.
Eu, especificamente sou marcada por certas “pessoínhas” das quais tive o privilégio de acompanhá-las nas primeiras etápas de vida e desenvolvimento na adolescência.
Normal não termos uma ligação igual com todas as pessoas que nos marcaram, porém existem aquelas das quais a distância só vem trazer lágrimas aos olhos e mágoa ao coração por não podermos conviver com eles como conviviamos dia-a-dia e por não podermos partilhar de todos os momentos como antes.  Díficil se lembrar dos momentos passados e revendo fotos que só revivam na nossa memória todos os momentos já passados juntos, sejam estes com sorrisos, lágrimas, decisões ou apenas brincadeiras.
As lembranças podem ser confortantes, porém, estas mesmas também podem ser crúeis não trazendo apenas a felicidade das lembranças daqueles que mais amamos mas por trazerem-nos de volta à realidade que estamos longe e não podemos abraçá-los e “agarrá-los” como antes fazíamos.

A saudade dói e escorre pelo rosto devido ao aperto que ficamos no coração por estarmos longe dos que mais amamos (e é assim que escrevo esta publicação)!

(2017)


sexta-feira, 2 de junho de 2017

Pensando na vida...

Boas minha gente. Hoje decidi falar-vos sobre aqueles momentos em que damos por nós pensando na nossa própria vida, no antes, no presente e no futuro. Quem é que nunca deu por si a pensar no que gostaria de ter mudado no seu passado?
Pois então,  não há nada de mal em pensar no que já foi feito e no que iremos fazer. É algo que faz parte de todos nós e que ninguém é excepção. 

Desde os mais novos aos mais velhos, seja a idade qual for, não deixa de ser normal parar um pouco e pensar nesta nossa estadia no planeta terra.
Há quem desejasse mudar o passado, porém isso iria afetar o presente e o futuro. Há também quem defenda que temos destino e que tudo já está premeditado para acontecer da maneira que acontece.
Será que existe destino? Será que seria bom podermos alterar o nosso passado? 
Todas estas são questões às quais ninguém sabe responder. 
Por vezes é bom se sentar um pouco e pensar na nossa vida, mas voltas e reviravoltas que ela dá. 

O que acha sobre este assunto? Também dá por si sentado a pensar no seu passado, presente e futuro?

(2017)


terça-feira, 30 de maio de 2017

Amizade

Quem me dera que estivesses cá,
Pronto para a nossa amizade.
Por mais dolorosa que fosse
Sempre estarias por cá.

Quem me dera que não vendesses a tua alma
A qualquer pessoa da tua vida,
Se pensares com calma
Não será perdida.

O passado não dá para apagar,
O que resta é sentir a pulsação
E deixar seguir até à conclusão,
À espera de ninguém magoar.

Que dê tudo bem…
É o que eu quero,
Para ver o que dela provém,
Sem acabar em desespero.

(2010)


terça-feira, 23 de maio de 2017

Sorte de alguns

Boas minha gente, hoje venho falar-vos da sorte que apenas algumas pessoas têm sorte essa de encontrar a pessoa certa para ter do seu lado.
Sei que este é um assunto do qual já tratei aqui no meu blog, porém não me canso de voltar a mencioná-lo, pois é algo que considero uma enorme sorte da minha parte e que também apenas algumas pessoas podem dizer que passam pelo mesmo.
Desde novos ouvimos contos de fadas onde tudo é perfeito e acabam sendo felizes para sempre. Pois isso é demasiada fantasia porque nada é perfeito nesta nossa vida mundana, nem ninguém é perfeito.
Perfeição não existe, porém, existe quem lute para que a relação dê certo, para minimizar as divergências/diferenças entre os dois. Há quem faça com que a chama da relação não apague, com que o romance continue e aquele amor continue acesso como quando as pessoas se conheceram.
Nada é fácil, porém nada é impossível. Há que lutar e trabalhar para que a cumplicidade se mantenha entre o casal.
Mesmo assim há quem tenha sorte de ter encontrado a pessoa certa. Pessoa essa que põe em primeiro lugar o bem estar do seu companheiro, tanto em nível de saúde como sentimental. Parceiro este que faz como que tudo para ver a pessoa do seu lado bem, contente, realizado/a.
Estas são sensações das quais apenas as pessoas felizardas conhecem. Pois ter a pessoa certa do seu lado é como jogar na lotaria e ganhar o prémio máximo. Não há nada como essa sensação.


Felizes das pessoas que têm essa sorte. Não acha?

(2017)